terça-feira, 13 de janeiro de 2015

Judas e Pedro, qual a diferença?





          Fazendo um comparativo entre as histórias de Judas e Pedro podemos verificar que existem muitas semelhanças , porém importantíssimas e determinantes distinções. Eles serviam ao Senhor durante o mesmo tempo, viram os mesmos milagres, receberam os mesmos ensinamentos, beberam da mesma fonte, mas quando falamos da traição percebemos que embora os dois tenham assumido atitudes erradas em relação a Jesus, apenas Pedro teve uma nova chance. Diante disto vem a pergunta: Qual a diferença entre os dois, se ambos cometeram erros gravíssimos. Judas traiu a confiança de Jesus e o vendeu, e Pedro o negou diante dos homens? Além do aspecto teológico que Judas era o “filho da perdição”, uma das possíveis respostas pode ser A DESLEALDADE DO CORAÇÃO. Façamos uma análise superficial dos dois personagens: 
  • Pedro: sempre foi uma pessoa estourada, entrava em assuntos sem ser chamado, era dominado pelas circunstâncias, falava demais, mas também era sensível a Deus, recebia revelações, defendia o Mestre, era um soldado a serviço do rei, por isso cometia grandes acertos, mas também grandes erros. Pedro era conhecido de todos os discípulos e principalmente pelo Mestre. Mas em nenhum momento da sua vida a bíblia registra malícia na vida de Pedro, atos pensados, estratégias elaboradas, armações contra o Mestre. Ele oscilava em suas emoções por isso era im-previsível em suas ações e reações. Tudo poderia acontecer, até mesmo tentar matar alguém para proteger seu Mestre, e em momentos seguintes traí-lo e negá-lo por estar sob pressão. Já o caso de Judas é diferente.
  • Judas: mal aparece nos evangelhos a não ser quando surgem questões relacionadas às intenções do coração, a dinheiro e a beneficio próprio, por exemplo, quando Maria irmã de Lázaro derrama sobre os pés de Jesus o perfume caríssimo, Judas, assim como os outros apóstolos, questiona a atitude da mulher ,os demais apóstolos por pensarem nos pobres ele(Judas) não por quer r ajudar os pobres, mas por que roubava o dinheiro de Jesus que estava sob sua confiança, e aquele perfume sendo vendido o dinheiro seria colocado na sacola que Judas tomava conta e ele o usurparia. “Seis dias antes da Páscoa, foi Jesus para Betânia, onde estava Lázaro, a quem ele ressuscitara dentre os mortos. Deram-lhe, pois, ali, uma ceia; Marta servia, sendo Lázaro um dos que estavam com ele à mesa. Então, Maria, tomando uma libra de bálsamo de nardo puro, mui precioso, ungiu os pés de Jesus e os enxugou com os seus cabelos; e encheu-se toda a casa com o perfume do bálsamo. Mas Judas Iscariotes, um dos seus discípulos, o que estava para traí-lo, disse: Por que não se vendeu este perfume por trezentos denários e não se deu aos pobres? Isto disse ele, não porque tivesse cuidado dos pobres; mas porque era ladrão e, tendo a bolsa, tirava o que nela se lançava.” (João 12:1-6 RA). Outra situação semelhante aconteceu quando uma mulher na casa de Simão derrama perfume sobre a cabeça de Jesus e há um questionamento sobre o ato dela embora  Jesus a aprovasse . A Bíblia diz que Judas saiu dali e foi vender Jesus, na surdina. Ele agiu em segredo, sem deixar ninguém perceber o que estava planejando e fazendo. Judas não era um Pedro da vida, não era um atropelado por suas próprias palavras e ações, agia sempre dentro do normal, do padrão, trabalhava na surdina, na calada da noite, nas salas de bate-papo fechadas, nos encontros secretos, enfim nas trevas: “Estando ele em Betânia, reclinado à mesa, em casa de Simão, o leproso, veio uma mulher trazendo um vaso de alabastro com preciosíssimo perfume de nardo puro; e, quebrando o alabastro, derramou o bálsamo sobre a cabeça de Jesus. 4 Indignaram-se alguns entre si e diziam: Para que este desperdício de bálsamo? 5 Porque este perfume poderia ser vendido por mais de trezentos denários e dar-se aos pobres. E murmuravam contra ela. 6 Mas Jesus disse: Deixai-a; por que a molestais? Ela praticou boa ação para comigo. 7 Porque os pobres, sempre os tendes convosco e, quando quiserdes, podeis fazer-lhes bem, mas a mim nem sempre me tendes. 8 Ela fez o que pôde: antecipou-se a ungir-me para a sepultura. 9 Em verdade vos digo: onde for pregado em todo o mundo o evangelho, será também contado o que ela fez, para memória sua. 10 E Judas Iscariotes, um dos doze, foi ter com os principais sacerdotes, para lhes entregar Jesus. 11 Eles, ouvindo-o, alegraram-se e lhe prometeram dinheiro; nesse meio tempo, buscava ele uma boa ocasião para o entregar.” (Marcos 14:3-11)

                          Quando analisamos estas histórias, podemos  percebemos as diferenças entre Judas e Pedro embora diante erros semelhantes. Pedro agia sem calcular as consequências, oscilava em suas emoções e decisões, mas tinha um coração sincero, mesmo cometendo erros. Judas agia na maldade, na estratégia, no plano, calculando o que ia ou não ia fazer, de maneira que ninguém percebia suas intenções a não ser o Mestre que o conhecia.


Pedro
Judas
Atos
Negou (traiu a confiança) Jesus
Traiu (vendeu) Jesus
Emoções
Descontroladas
Bem  controladas
Atitudes
Impensadas
Bem calculadas
Consequências
Não planejadas
Dentro do previsto
Avaliação feita por Jesus
Erro sem dolo
Comportamento doloso
Reações ao errar
Se  arrependeu e voltou para o Mestre
Tomado de remorso, afastou-se e suicidou-se
Consequências
Recebeu perdão
Foi condenado

Conclusão: as realidades que acabamos de estudar nas vidas de Pedro e Judas ainda se manifestam hoje e podem estar em nós e ao nosso redor. Por isso, é bom estarmos atentos tanto para conosco, quanto em relação as pessoas que estão ao nosso redor, pois podemos estar comendo ao lado de Judas, ou até mesmo sendo Judas para quem está ao nosso lado. Para tanto devemos pedir a ajuda de Deus, para que Ele nos sonde e nos livre dos maus caminhos do nosso coração e também das pessoas do mal que estão ao nosso redor movidas pela malícia, pelo interesse próprio, até mesmo nos usando, apenas esperando a melhor oportunidade para nos trair, abandonar, falar mal e tentar nos destruir.

Pedidos de oração:


 • “Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração, prova-me e conhece os meus pensamentos; vê se há em mim algum caminho mau e guia-me pelo caminho eterno.” (Salmos 139:23-24 RA) 

 • “ Livra-me, SENHOR, do homem perverso, guarda-me do homem violento, cujo coração maquina iniquidades e vive forjando contendas. Aguçam a língua como a serpente; sob os lábios têm veneno de áspide. Guarda-me, SENHOR, da mão dos ímpios, preserva-me do homem violento, os quais se empenham por me desviar os passos. Os soberbos ocultaram armadilhas e cordas contra mim, estenderam-me uma rede à beira do caminho, armaram ciladas contra mim. Digo ao SENHOR: tu és o meu Deus; acode, SENHOR, à voz das minhas súplicas. Ó SENHOR, força da minha salvação, tu me protegeste a cabeça no dia da batalha. Não concedas, SENHOR, ao ímpio os seus desejos; não permitas que vingue o seu mau propósito. Se exaltam a cabeça os que me cercam, cubra-os a maldade dos seus lábios. Caiam sobre eles brasas vivas, sejam atirados ao fogo, lançados em abismos para que não mais se levantem. O caluniador não se estabelecerá na terra; ao homem violento, o mal o perseguirá com golpe sobre golpe. Sei que o SENHOR manterá a causa do oprimido e o direito do necessitado. 13 Assim, os justos renderão graças ao teu nome; os retos habitarão na tua presença.” (Salmos 140:1-13 RA) 
 Pr. Almy Alves Junior

domingo, 4 de janeiro de 2015

Onde está o Egito?

Depois de Deus nos tirar do Egito (sistema mundano do pecado), precisamos que o Senhor tire o Egito de dentro de nós.